Teorias dos Sistemas - Diferenciação do self e triangulo

Friday, 11 December 2009

Diferenciação do self (M. Bowen, 1960)

Refere-se à capacidade de uma pessoa de separar seu funcionamento intelectual e emocional do de sua família. Indivíduos com "baixa diferenciação" são mais propensos a se tornarem fundidos às emoções familiares predominantes. Estas pessoas dependem da aprovação e aceitação de outros. Ou eles se conformam a outros, para apaziguá-los, ou tentam forçar os outros a conformarem-se com eles. Estas pessoas são mais vulneráveis ao estresse e tem maiores dificuldades para se ajustar a mudanças de vida.

Ego familiar comum

Conjunto de constelações, atitudes, sentimentos, valores e crenças que representam um sistema emocional familiar.
Projeção familiar
O problema vivido por ambos os pais é transmitido a um ou vários filhos.

Triângulo

Se há tensão entre duas pessoas membros de um sistema é triangular a uma terceira pessoa para reduzir a tensão no meio do sistema.

Na Teoria dos Sistemas Familiares, quando duas pessoas têm problemas, uma ou ambas vão "triangulizar" em um terceiro membro. Ao mudar o foco da ansiedade para um terceiro membro, fica mais fácil lidar com ela. Em um triângulo, dois estão por dentro do problema e um está por fora. Por exemplo, ao invés de falar com o marido sobre frustrações que está a sentir, uma mãe passa a se preocupar com o filho. A ansiedade é diminuída ao se ignorar sua fonte (o relacionamento com o marido): o marido está por fora e mãe e filho dentro do triângulo.
Outro exemplo é quando o marido, frustrado com sua mulher, passa muito tempo no trabalho, excluindo sua esposa do triângulo e formando uma parceria com o trabalho.

Mesmo que a ansiedade seja reduzida, nenhum dos casos está a resolver a fonte de sua ansiedade.
Triângulos geralmente têm 2 indivíduos ou entidades em conflito e outra não envolvida. Quando a tensão está baixa, a relação entre os dois primeiros indivíduos é desejável. Nos triângulos, um estranho ao relacionamento é trazido para dentro do conflito, numa tentativa de diminuir ou evitar a situação ansiogênica ou numa tentativa de arrumar um parceiro contra o outro indivíduo. Os dois indivíduos em conflito podem ativamente excluir o terceiro quando o relacionamento melhora, provocando sentimentos de rejeição ao estranho trazido ao conflito.


Como numa dança das cadeiras, as posições não são fixas. Se tensão desenvolve entre duas pessoas dentro do triângulo, a mais desconfortável delas vai se mover para mais perto do estranho. A outra pessoa que estava dentro do conflito torna-se então "o estranho". Presumivelmente, o novo "estranho" faz o possível para voltar em uma posição de intimidade com os de dentro do triângulo.

Em conflitos de altos níveis de tensão, a posição de estranho é a mais desejada. Se os de dentro estão em sério conflito, uma pessoa pode optar por exercer a posição de "estranho" ao trazer o "estranho" atual para dentro do triângulo, fazendo-o brigar com o outro vértice. Se esta manobra for bem executada, a pessoa ganha uma posição confortável ao ver as outras duas brigando. Quando a tensão acaba, o "estranho" tenta retomar sua posição dentro do triângulo.

Self

Permite que uma pessoa se auto-referencie individualmente, que distinga sujeito de objecto

Por exemplo no casamento os indivíduos procuram parceiros geralmente com a mesma diferenciação do self.

Pacientes psicóticos têm pouca diferenciação do self, devido a triângulos (pais passam aos filhos seus problemas). Neste tipo de problemas os aspecto emocional é maior que o racional. Isso acontece mais com casais com pouca diferenciação do self. Em geral pais passam mais para um filho do que para vários e isso permite que os outros atinjam uma melhor diferenciação do self.

A toxicodependência também está implicada em problemas de diferenciação do self.

Referências:

ResearchBlogging.org

Bohlander, J. (1995). Differentiation of Self: An Examination of the Concept Issues in Mental Health Nursing, 16 (2), 165-184 DOI: 10.3109/01612849509006932

Klever, P. (2009). Goal Direction and Effectiveness, Emotional Maturity, and Nuclear Family Functioning Journal of Marital and Family Therapy, 35 (3), 308-324 DOI: 10.1111/j.1752-0606.2009.00120.x

Triangulation - Systemic And Structural Family Theories

Foto: http://nossasbrincadeiras3b.zip.net/images/danca_das_cadeiras.JPG

Posted by Vanessa Marsden at 08:59  

0 comments:

Post a Comment