Gravidez, maternidade e falhas de memória

Friday, 19 February 2010

Se você já esteve ou está grávida, ou se já conviveu de perto com alguma grávida sabe que, depois das náuseas, insônia e outras queixas físicas comuns deste período, a principal queixa psicológica neste estágio é "esquecimento". Muitas mulheres (eu inclusive) notam que a mente não funciona como antes e é frustrante procurar (e não achar) as chaves do carro, a bolsa, os óculos, o sapato que tinha acabado de separar para usar ("mas eu acabei de vê-los!") entre outros. Não faz nem uma semana que, ao guardar as compras do supermercado, coloquei o pacote de ervilhas congeladas no armário dos cereais matinais e foi sorte meu marido tê-las encontrado lá, pois eu não tinha ideia do que tinha feito.


Por isso fiquei um pouco surpresa quando li o estudo de Christensen et al. Cognition in pregnancy and motherhood: prospective cohort study, no número de fevereiro do British Journal of Psychiatry. Os pesquisadores encontraram que gravidez e maternidade não são as causas dos lapsos de memória e outros problemas cognitivos, como comumente aceito.

Embora muitos livros sobre gravidez e até mesmo alguns estudos respaldem o "esquecimento da gravidez", os pesquisadores australianos notaram que estas conclusões estavam em desacordo com estudos em animais, que muitas vezes mostram que aprendizado e memória chegam a melhorar quando as fêmeas estão prenhas. Christensen escreveu que "Isto nos sugeriu que os efeitos da gravidez e maternidade nas habilidades cognitivas podem não ter sido adequadamente testados". As principais falhas encontradas nos estudos em humanos foram falta de testes de memória anteriores à gravidez para se conseguir uma linha de base para avaliação; amostras muito pequenas; e falta de um follow-up suficientemente longo.

No estudo em questão, os investigadores avaliaram mulheres que participavam de um largo estudo baseado na comunidade em 1999 que investigava a saúde e bem -estar da população. As voluntárias foram submetidas a uma bateria de testes cognitivos em intervalos de 4 anos (2003 e 2007).

1241 mulheres (20-24 anos) foram testadas em 1999 para prover uma linha base. Após 8 anos de estudo, 76 mulheres estiveram grávidas durante os testes de follow-up em 2003 ou 2007. 188 se tornaram mães mas não estavam grávidas no momento da entrevista. Apenas grávidas e mães de primeira viagem foram incluídas no estudo.

Não houve diferenças significativas entre as grávidas, as que se tornaram mães ou as mais de 500 que não tiveram filhos durante o curso do estudo. A gravidez avançada esteve associada a pior performance em testes de velocidade mental, mas além disso não foram encontradas outras diferenças substanciais.

E como fica a impressão que temos de que a nossa memória diminui proporcionalmente ao aumento de nossa circunferencia abdominal? Li recentemente uma entrevista (acho que foi no The Times) com a Dra. Helen Christensen, investigadora principal do estudo. Ela acredita que os lapsos que apresentamos durante a gravidez podem ser explicados por uma das duas hipóteses: Os lapsos podem ser tão simplesmente semelhantes aos que qualquer um apresenta no dia-a-dia, mas como estamos grávidas ou temos filhos pequenos, e estes estão muito presentes em nossas vidas, estamos condicionados ou acostumados a culpá-los pela falta de memória. Outra hipótese é que os testes utilizados não foram suficientemente sensíveis para detectá-los, embora a Dra. Christensen não ponha fé nesta hipótese.

E você? O que pensa? Concorda com os achados do estudo?

ResearchBlogging.org
Christensen, H., Leach, L., & Mackinnon, A. (2010). Cognition in pregnancy and motherhood: prospective cohort study The British Journal of Psychiatry, 196 (2), 126-132 DOI: 10.1192/bjp.bp.109.068635



Cartoon: http://3.bp.blogspot.com/_VVDiIOygGlA/Sai91i3aBZI/AAAAAAAAAAw/qJ1Pt-mmWeA/s320/Cartoon.jpg

3 comments:

Não li o artigo original mas li o resumo no post.
Pela minha experiência pessoal não recordo de perda de memória propriamente mas sim de desatenção. Recordo que em vez de colocar qualquer coisa na gaveta dos legumes do frigorífico coloquei na máquina de lavar!
No entanto sentia-me bastante bem em termos de saúde e uma das razões por mim atribuidas era ...dormir muito bem, e muito. Normalmente corto nas horas de sono, mas durante a gravidez não dava para enganar o sono. Tinha mesmo que dormir x horas e àquela hora ( a tal rotina a que a Vanessa se refere noutro post recente era-me imposta pela natureza).
Obrigada por nos dar a conhecer a investigação e a polemizar.

Anonymous said...
19 February 2010 at 09:03  

Já me deparei várias x com lapsos de memória estando grávida...
Ontem mesmo liguei o forno e não acendi o fósforo.
A sorte foi que meu marido estava na cozinha e começou a sentir o cheiro do gás e logo desligou o fogão...E até agora não me lembro d não ter acendido o palito de fósforo...

Luciana said...
2 May 2010 at 07:07  

Estou grávida pela primeira vez. E ando meio esquecida e avoada. Não sei explicar, mas com o decorrer da gravidez fiquei assim. Pensei até que fosse alguma falta de vitamina que estivesse prejudicando a minha capacidade cognitiva, mas mesmo tomando, nada mudou. E antes eu resolvia tudo e não tinha problema com esquecimento. Pior que não estou ansiosa com a gravidez ou algo do tipo. Simplesmente, acabo de fazer algo e já esqueço. Acredito que falta algo nesses estudos, pois vejo muita mulher grávida se queixar disso.

Anonymous said...
14 February 2014 at 05:38  

Post a Comment