Todos vivemos no sótão

Tuesday, 23 February 2010

Este post é dedicado a Exhamia, que disse trancar-se no sótão voluntariamente (vide Jane Eyre e a loucura). Muitos posts hoje! Este um bocado autobiográfico.

Sempre achei que todos somos casas com muitos quartos vazios. E um sótão, onde trancamos a louca, ou os impulsos de todos nós. Entendo sua necessidade de solidão e de afastar-se de tudo. A solidão pode ser muito terapêutica. Quando mudei para Portugal, embora trabalhasse e estudasse, não conhecia ninguem. A única companhia que tive, por meses a fio, para tomar um café, para passear comigo, era eu mesma. E assim, tive que abrir as temerosas portas ruidosas dos quartos da "minha casa", retirar os lençois que cobriam os móveis... Abrir os armários e enfrentar os esqueletos que lá se escondiam foi o mais difícil. Tive que lidar com eles um por um. Aprendi a tê-los por companhia. Não mais saía sozinha para tomar café. Meus medos e culpas me acompanhavam agora não como sombras mas como amigos que me fortaleciam. Não precisava mais me esconder no canto do café, tímida e com medo de estar sendo analisada. Hoje digo que eles se sentam comigo à mesa e debatemos longamente. Aprendi a apreciar a solidão e às vezes até mesmo a ansiar por ela. Quando finalmente tive companhia física para tomar um café, não havia mais aquela "necessidade" de alguém. Eu satisfazia a mim mesma. E os que passaram a me acompanhar a partir de então enriqueciam meu colorido mundo interno.

Encontrei este poema de Judah Emanuel que diz respeito ao assunto:

Os Dias ( Ou memórias de um quarto vazio )

Entre dias cinzas eu pairo
riscando sorrisos amargos ao nada
desenhando lágrimas
nos braços da solidão
esboço memórias passadas
em palavras tristes
Mais entre palavras e sonhos
ouso gritar para o vão
pra o só
ser só mais fraco então
pra esse sorriso
ser amargo mais não
nele cabe um mundo
cantando sempre riso
o vivo
e o motivo
de ser feliz
e à solidão cabe o tempo
destroçar
derrubar e derrotar
e bate ao peito o calor
reclamar à si felicidade
sem temor
e o dia se faz azul
nem estás só assim.

PS: Só não confunda solidão com auto-isolamento. O isolamento social leva à depressão e não faz bem à ninguem. Isolamento quer dizer não querer ver ninguém na maior parte do tempo, ao invés de sentir-se sozinha (como ocorre na solidão).

Foto: http://rtmulcahy.files.wordpress.com/2007/05/empty-house.jpg

Posted by Vanessa Marsden at 09:07  

2 comments:

Obrigada esta dedicatória fez um click em mim extraordinário. Estava mesmo a precisar.

Exahmia said...
23 February 2010 at 12:35  

Eu ultimamente...preciso da solidão e de um sotão. Eu era alegre...falante...queria falar com todos...fazer amigos. Hoje se possível desligos os telefones...não entro mais no msn... e ainda saio porque tenho que terminar o meu curso. Mas vai ser uma tortura enfretar a todos.

Eu queria um sotão.

23 February 2010 at 19:39  

Post a Comment