Adoção de crianças por homossexuais

Monday, 3 May 2010

Este post veio para polemizar. Em vista da decisão do Supremo Tribunal de Justiça no Brasil, que garantiu a adoção de uma criança por um casal homossexual, criando um precedente legal, muito tem se discutido na internet. No Reino Unido a adoção de criança por homossexuais já vem sendo praticada a anos. Portugal recentemente aprovou no parlamento o casamento homossexual (que está no aguarde de avaliação do presidente) e a discussão sobre adoção não tarda.

Os blogs de psiquiatria e saúde mental que acompanho tem levantado a bandeira da adoção, citando diversos estudos que referem o bom desenvolvimento infantil nestes casais. Outros blogs (especialmente os ligados a valores tradicionais e religião) citam outros estudos e relatórios que demostram pior desenvolvimento.

Não queria entrar nesta discussão mas algo me incomodou recentemente:

Em uma conversa sobre o assunto com um familiar no Brasil (bendito Windows Live Messenger) eu notei que o mesmo argumento/falácia que foi usado na Europa e Estados Unidos sobre a adoção por casais homossexuais está a ser explorado no Brasil: que a adoção por casais homossexuais deve ser liberada pois existem milhares de crianças nos orfanatos brasileiros e os homossexuais poderiam ajudar a tirá-las desta situação de miséria. Como meu familiar disse, a alternativa para estas crianças, fora da adoção por homossexuais é viver no orfanato, em uma vida desprovida de amor e carinho, sem possibilidades de um futuro melhor.

O problema é que, no meu entendimento, a maioria das crianças que está a espera de ser adotada não faz parte do "ideal de adoção" do inconsciente popular. Estas crianças estão longe de ser o bebê recém-nascido, saudável, limpo e imaculado, muito pequeno para lembrar-se de outros pais que não os adotivos. São crianças doentes, com dificuldades mentais ou físicas, de aprendizagem e comportamento ou crianças mais velhas, já "traumatizadas" pela criação no orfanato (segundo a fantasia popular).

Muitos falam sobre como os casais homossexuais ao redor do mundo adotam crianças com HIV e outros problemas de desenvolvimento, argumentando que estes casais aceitam os casos mais difíceis dentro do sistema. Acredito que muitas vezes o argumento é utilizado para provocar empatia na população conservadora, que pensa que um casal homossexual não seria tão bom para uma criança quanto um casal heterossexual, mas - dos males o menor - que pode fornecer um ambiente familiar melhor do que o mínimo do mínimo garantido pelo estado.

Existem também casais heterossexuais que adotam crianças com problemas. A grande maioria, entretanto, quer crianças saudáveis e fica por anos a fio a espera da criança ideal (quando não usam de seu status social/econômico para adotar no exterior), enquanto que as crianças doentias, com deficiências mentais e mais velhas passam seus anos de formação nos orfanatos.

O objetivo deste post não é enaltecer ou degradar qualquer tipo de adoção, mas revelar uma falha na lógica deste argumento: Não há qualquer razão para se pensar que os casais homossexuais seriam diferentes dos heterossexuais no que tange a adoção de crianças. É lógico que eles também querem um belo bebê sem problemas óbvios para educar e amar. Que nos dias de hoje os casais homossexuais se concentrem nos EUA e certos países europeus em casos difíceis pode apenas ser resultado da dificuldade em adotarem os casos mais desejáveis. Ao se colocar casais homossexuais em status de igualdade a heterossexuais (como ocorre no Reino Unido) o que ocorreu foi um aumento da competição pelos bebês mais "adotáveis".

Não quero dizer que a adoção por homossexuais é uma má ideia. A prática tem sido realizada por estas bandas há algum tempo e até agora os resultados em geral parecem ser positivos. Eu só acredito que não se deve discutir a adoção por homossexuais com base na ideia de que eles vão "limpar o sistema" dos casos mais difíceis. Os argumentos usados tanto de um lado quanto de outro devem ser expostos na sua totalidade para que a população julgue da melhor forma o assunto e chegue a uma decisão democrática. Muito já se discutiu sobre o desenvolvimento da criança nestes lares. O que resta é expor os argumentos prós e contras, dissecá-los e análisá-los em seus pesos e medidas para se excluir as falácias, fantasias e preconceitos de cada lado.

6 comments:

Boa tarde,

Vou referenciar este post no meu blogue.

Bom trabalho

Celso Silva said...
4 May 2010 at 05:41  

Só uma questão.

Em Portugal não foi aprovada a adopção de crianças por casais homossexuais (ainda), apenas foi aprovado o casamento (que ainda aguarda a aprovação do Presidente da República).

Bjs

Celso Silva said...
4 May 2010 at 05:46  

Bem lembrado, Celso. Misturei alhos e abrolhos... vou corrigir imediatamente.

Obrigada

Vanessa Marsden said...
4 May 2010 at 06:30  

Gostei do espaço para tocar no assunto. Muito tem se falado em pais homossexuais adotarem ou nao uma criança. Infelizmente no Brasil isso ainda é mto complicado, por problemas culturais, mto preconceito, onde vai depender da avaliação do juiz. Não concordo com seu ponto de vista onde os homossexuais vão vir para "limpar o sistema", não sei de onde vc tirou essa idéia. Casais do mesmo sexo tem os mesmos sonhos q pessoas do sexo oposto. Queremos ter um filho, criá-lo e educá-lo da melhor forma possível. Talvez os homossexuais procurem por bebês pois infelizmente ainda na medicina não existe um jeito de um nosso, mas isso nao quer dizer que homossexuais não podem adotar crianças mais velhas, isso vai depender da condição social de cada um, assim como para os heterossexuais. Acredito sim, que abrindo um espaço para homossexuais adotarem, vai ajudar mtas crianças q precisam de um lar, e realizar o sonho de mtos pais que querem criar uma criança. Torço para que um dia o preconceito acabe e as pessoas tenham mais respeito e compaixão pelas outras e enxerguem que somos pessoas normais com mto amor e carinho para dar. Uma criança precisa de amor e não de um rótulo heterossexual. Já vi mtos casos onde casais heterosexuais desistem da adoção por não se adaptarem ou não conseguirem educar, o quão traumático é isso para uma criança? Ao passo que para homossexuais, ter um filho é algo mto bem pensado e planejado.

Sue Ellen said...
13 June 2010 at 09:24  

Cara Sue Ellen

A ideia de que adocoes por casais homossexuais servirao para "limpar o sistema" nao 'e minha, 'e um argumento que ouco sempre que o assunto 'e debatido. Gostaria que relesse o post pois concordo com o que disseste, que qualquer casal (hetero ou homo) quer uma crianca para amar e educar e que essa ideia 'e uma falacia. O objetivo do post foi esclarecer que este argumento 'e muito vazio e, de certa forma, preconceituoso (casais homossexuais ou de "segunda classe" s'o podem ser permitidos adocoes de "segunda classe"). Percebes?

Vanessa Marsden said...
13 June 2010 at 13:36  

Olá, Vanessa. Eu não levanto propriamente a bandeira da adoção. Só expus as únicas evidências científicas que encontrei para analisar um dos argumentos - o do desenvolvimento saudável ou não de crianças adotadas por homossexuais. Tanto que concluí: "Definir se é certo ou errado vai além disso, envolvendo valores da sociedade, legislação federal etc" Um abraço. Daniel

13 July 2010 at 12:13  

Post a Comment