Porque meu bebê chora quando saio? Ansiedade de separação

Wednesday, 2 February 2011

Você teve um bebê há pelo menos 6 meses e de repente parece que ele está grudado a você com supercola. Soa familiar? Provavelmente ele está começando a apresentar a famosa "ansiedade de separação". Neste post vamos explicar o porque isso acontece e como lidar com a ansiedade do bebê.

Porque o bebê se torna tão grudento?

Você se tornou a pessoa mais importane na vida do bebê e ele se sente seguro e feliz quando em sua compania. Quando ele era menor, você podia sair da sala que ele não notava: longe dos olhos, longe do coração. Agora, entretanto, que ele está um pouco maior, ele percebe quando você não está e fica chateado. Se o bebê a vê sair, ele não tem certeza que você vai voltar. No seu ponto de vista, você desapareceu completamente e nunca mais volta. Você sabe onde vai, o que vai fazer e quanto tempo vai demorar, mas ele não.

Quando o bebê crescer mais um pouco ele vai aprender que você sempre retorna quando sai da sala ou quando o deixa na creche-hotelzinho-etc; mas neste momento ele vai chorar todas as vezes que você vai-se embora. Psicólogos e especialista denominam esta síndrome de "ansiedade de separação".

Como lidar com isto?

A melhor forma de lidar com um bebê grudento é aceitar que esta é uma fase e que ele vai estar mais feliz se puder estar consigo enquanto você faz suas tarefas. Isto é mais fácil se você está a maior parte do tempo em casa. Se você já retornou ao trabalho ou tem que deixar o bebê com outra pessoa enquanto faz outras coisas, você terá pela frente despedidas difíceis.
Se você ignorar a necessidade do bebê de tê-la por perto, ele pode ficar ainda mais grundento e brincar menos tempo sozinho enquanto você desempenha suas tarefas.

Trabalhando em casa

Se você fica a maior parte do tempo em casa, pode ser fácil encaixar as necessidades do bebê com as suas. Posicione-o de forma que ele possa vê-la a trabalhar enquanto ele brinca. Se você tem que ir a outra parte da casa, leve-o consigo ou dê-lhe tempo para seguí-la engatinhando. Você pode ter um local em cada quarto no qual ele pode brincar alegremente: a cadeirinha na cozinha, um tapete de brincar na sala de estar, uma seleção de brinquedos no quarto e brinquedos de banho e esponjas no banheiro.
Deixando seu bebê para ir trabalhar

A correria frenética de arrumar tudo para ir trabalhar, organizar as coisas do bebê para a creche ou hotelzinho e de sair de casa na hora certa é um trabalho árduo. Ela torna-se ainda mais difíci se o bebê fica muito triste quando você sai.
Você pode se sentir dividida entre confortá-lo e saber que já deveria ter saído. Saber que vai deixá-lo com outra pessoa "especial", a qual ele gosta e confia ajuda. Talvez ele tenha uma "professora" ou "cuidadora", um familliar ou amigo com a qual seu bebê goste de passar tempo. Ele pode ainda estar chateado quando você se vai mas se ele tem esta pessoa, ele vai acalmar logo depois de você sair.
Muitos pais que deixam um bebê gritando para trás sentem-se ansiosos e culpados... apenas para descobrir que ele está brincando feliz e satisfeito 5 minutos após ter sido deixado. Ligue para a creche ou cuidador assim que chegar ao trabalho para ficar mais relaxada. Se o bebê não se acalma, talvez seja recomendável repensar a creche ou cuidador, para garantir-lhe paz de espírito.

Olás e até-logos

Se você marcar o fim de cada separação com uma frase como "A mamãe voltou!" ou similar, você ajudará seu bebê a aprender que você sempre voltará para ele.

Perdendo a paciência

Pode haver horas em que a necessidade constante de atenção do bebê pode ficar "demais"; você nem mesmo consegue ir ao banheiro em paz! Se notar que está impaciente ou irritada, pode ajudar pensar a situação do ponto de vista do bebê: ele a ama intensamente e é realmente importante para ele que esteja por perto. Lembre-se, ele não vai agir assim para sempre, esta fase logo passará.

Foto: http://www.theparentszone.com/infants/infant-separation-anxiety-is-common-in-the-developmental-phase/

Posted by Vanessa Marsden at 14:40  

3 comments:

Oi Vanessa!

Bom, esse é um assunto que lido com frequência no meu consultório. Muitas mães ficam até "felizes" em ver seu 'filhinho picorrucho' chorar quando elas tem que sair (ganho secundário). É como se sentissem mais amadas e valorizadas. Mas com o tempo esse comportamento vai desgastando e limitando essa mãe (que não consegue nem dormir em seu próprio quarto sem a presença constante desse filho).
A ansiedade de separação é bem mais frequente na relação mãeXfilho(a), mas pode acontecer com o pai ou avós. Geralmente é com aquele responsável que tem maior contato com a criança.

Esse comportamento não deve ser estimulado pelo adulto ("nossa que gracinha! Ele(ela) não fica sem mim!!!.

Deve ser investigada a causa dessa ansiedade (fase da criança, mudança no ambiente, brigas dos pais, traumas, ou até uma relação co-dependente dessa mãe para com o filho).

Tem medicações a ajudam muito (diminuindo a ansiedade), mas somente em casos extremos (graves). Pois uma mudança de atitude e orientação psicológica deve ser tentada antes.

Abraço

Mariza

Mariza said...
3 February 2011 at 06:14  

Caros

Leiam o comentário acima da Dra. Mariza. Esta é a diferença entre o generalista e o especialista. Enquanto generalista, dei só uma pincelada sobre o assunto com algumas dicas mais simples. Já a Dra. Mariza é especialista em psiquiatria infantil e vai a fundo na questão. Gostei principalmente do que ela disse sobre não estimular o comportamento da criança, de ficar tão agarrado à mãe. Por isso, este comentário está nos meus top 10 e sugiro que sempre que surgirem dúvidas mais profundas sobre o post de ansiedade de separação, contactarem diretamente a dra. Mariza, que é muito acessível e tem um blog muito divertido.

Muito obrigada pela colaboração Mariza!

Vanessa Marsden said...
3 February 2011 at 13:14  

Isso tem sido constante com minha bebe de 7 meses! agora mesmo estava no banho e ela aos berros no colo do pai! Ufa!

Barbara said...
15 August 2012 at 19:07  

Post a Comment